Archive for BRIC

You are browsing the archives of BRIC.

BRICS encostam FMI à parede — 6ª cimeira em Fortaleza (Ceará, Brasil)

Cimeira das cinco economias emergentes em Fortaleza coloca no terreno duas iniciativas “simbolicamente importantes”, refere Charles Collyns, economista-chefe do Institute of International Finance, a associação mundial do sector financeiro. O Banco dos BRICS e o Fundo de Garantia põem em causa a ordem criada há precisamente 70 anos em Bretton Woods.
© Jorge Nascimento Rodrigues, 2014

Risco geopolítico saiu do armário com a crise da Crimeia

O pico da crise da Crimeia provocou uma queda nas bolsas mundiais de 1,2% no dia 3 de março. Alguns analistas já a batizaram de “segunda-feira negra”. Uma terceira crise pode vir a juntar-se às duas já em curso — a das dívidas soberanas do euro e a das economias emergentes, Por Jorge Nascimento Rodrigues
(c) JNR, 2014

Euro zone peripheral debt sustainability simply is unattainable without defaults – UWE BOTT, financial advisor

Euro zone peripheral debt sustainability simply is unattainable without defaults – UWE BOTT, financial advisor

The week that Doctor Bernanke confirmed rumors that an exit from QE is likely and the Italian Mario Draghi assured he was a central banker with an “open mind”, the reaction of the PBOC trying to empty the Chinese shadow banking financial bubble, the demonstrations in Brazil and the volatility of financial markets led me to talk to Uwe Bott, an independent financial adviser and regular contributor to «The Globalist». (c) JNR 2013

Os 5 riscos económicos para o final de 2012

Uma conjugação negativa pode juntar o disparo do preço do barril de petróleo e dos cereais com a recessão na Europa e o abrandamento do crescimento nos EUA e na China,

Texto ampliado de versão publicada no semanário português Expresso. (c) Jorge Nascimento Rodrigues, 2012

Available ENGLISH VERSION at LisWires (The Five Downside Risks for the end of 2012)

Dossiê BRICS: Da Cimeira em Nova Deli à relação de forças no FMI e Banco Mundial

Realizou-se dia 29 de março de 2012 na capital da Índia a 4ª cimeira das cinco principais potências emergentes. Economistas dos cinco países envolvidos comentam as expetativas em torno do encontro e depois o seu balanço. Um plano de ação foi aprovado pela primeira vez. Não é, ainda, o momento de macrodecisão do grupo, mas para lá se caminha.

BRIC: cambio o simple moda?

Pese a las críticas, la visión de O’Neill y su equipo en Goldman Sachs ha provocado tres consecuencias devastadoras en la percepción que había del mundo había hace una década.

Cabe recordar que el concepto de BRIC surgió al mismo tiempo que muchos analistas trataron de transmitir la idea de que los ataques terroristas del 11 de septiembre en los Estados Unidos había sido un punto de inflexión. “El mundo ha cambiado”, se dijo entonces. El que se unió el renacimiento inexorable de la superpotencia “soltera”.
Una visita BRIC a BRIC — (c) Jorge Nascimento Rodrigues, 2012

Dossiê BRICS: I- De um acrónimo a um clube político

Breve história da vida de um acrónimo que se transformou em um clube político. Começou com quatro membros todos diferentes mas todos iguais na trajetória de deitarem fora a etiqueta de Terceiro Mundo ou de superpotência falhada. Acabaram por se “libertar” do próprio “pai”, Jim O’Neill, Mr BRIC que entrevistámos recentemente para o semanário português Expresso e para janelanaweb.com (em castelhano). TEXTO LONGO

Jim O’Neill, el “padre” del acrónimo BRIC: “Me gusta la definición que he oído del Partido Comunista de China como una gran cámara de comercio”

Jim O'Neill, el

No fue invitado a estar en Ekaterimburgo en junio del 2009 en la boda del club geopolítico de los BRIC. Pero si los cuatro países emergentes hoy en día usan la marca, a él se debe.
Entrevista © Jorge Nascimento Rodrigues, Enero 2012, Janelanaweb.com

Um G7 de verdade teria de ter os BRIC, diz o “pai” do acrónimo BRIC

Isso significaria “eliminar” alguns dos atuais membros do “clube dos ricos” e agrupar a zona euro numa só cabeça. Se não, um dia destes, um G8 das potências que dominam o crescimento enterra de vez essa invenção do presidente Ford. O novo livro de Jim O´Neill, o inventor do acrónimo BRIC.

“A Europa deve fazer uma cimeira com os BRIC” (Franck Biancheri, LEAP)

“A Europa deve fazer uma cimeira com os BRIC” (Franck Biancheri, LEAP)

O especialista francês em tendências geopolíticas e geoeconómicas propõe a realização antes de 2015 de uma cimeira entre a União Europeia e os BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), dando expressão a uma nova realidade que batizou de BRICE. Franck Biancheri acha que a União Europeia é uma “potência nova” com uma moeda nova e um projeto novo, e não um incumbente obsoleto. Os Estados Unidos estão em “declínio irreversível”, pelo que a Europa tem de procurar novas alianças.