Archive for Paul Krugman

You are browsing the archives of Paul Krugman.

Niall Ferguson: “Se tiver de escolher entre a desigualdade e uma guerra mundial, provavelmente optarei pela desigualdade”

Parte de uma conversa com o polémico historiador britânico inserida numa entrevista realizada com o jornalista João Silvestre e publicada no diário digital e na edição semanal do Expresso, semanário português.

(c) Jorge Nascimento Rodrigues, abril 2014

The austerian debacle — the Critique of Reinhart & Rogoff: conversations with profs. Pollin, Ash and blogger Konczal

The Critique of Reinhart and Rogoff debt iron rule – interviews with professors Robert Pollin and Michael Ash from University of Massachusetts and blogger Mike Konczal of Rortybomb blog.
(c) Jorge Nascimento Rodrigues, April 2013

Ecos de San Diego II — Krugman alerta sobre estagdeflação ou estagnação com inflação muito baixa

Nos anos 70 dominou a “estagflação”, ou estagnação económica com inflação; agora, as economias do mundo desenvolvido podem correr o risco de uma estagnação com deflação (estagdeflação) ou com inflação muito baixa, disse o Prémio Nobel de Economia de 2008 na reunião anual da American Economic Association em San Diego na primeira semana de janeiro de 2013.

Ecos de San Diego I — FMI volta a explicar-se sobre as suas “mudanças” de opinião

Ecos de San Diego I -- FMI volta a explicar-se sobre as suas

Gradualismo e não radicalismo à la Nike (Just do It) é a palavra de ordem, agora, do FMI. É preferível austeridade gradual, diz diretor do FMI na conferência anual da American Economic Association em San Diego na primeira semana de 2013. Carlo Cottarelli, diretor do Departamento de Assuntos Orçamentais do Fundo Monetário Internacional, falou num dos painéis da conferência anual da American Economic Association sobre as “evoluções” no pensamento da organização a propósito da gestão da crise em curso.

A “viragem” de orientação no FMI — a reunião de Outono de 2012: o início da derrota dos “austeristas”?

Palavras duras de Christine Lagarde, a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional, sobre a gestão das crises das dívidas soberanas na zona euro e estudos de equipas do Fundo que colocam em causa o multiplicador orçamental da austeridade e as terapias aplicadas pela troika puseram a nu divergências de estratégia com as correntes “austeristas” integristas. TEXTO LONGO em seis actos.

América corre o risco de um default “por uns dias” em agosto

Os chineses e as agências de notação Fitch e Moody’s zangaram-se com o Congresso americano. Se o limite de endividamento dos EUA não for aumentado, 30 mil milhões de dólares de títulos do Tesouro que vencem a 4 de agosto podem estar em maus lençóis.

Ensaios sobre a crise III: Esta Recessão foi diferente

A comparação com a Grande Depressão dos anos 1930 é tentadora. Mas a história, agora, foi diferente. A separar 1929 de 2007 está uma “financeirização” insana da economia e da sociedade, dizem vários especialistas em história das crises. E a geração de um “ecossistema” financista novo.
AVISO AO LEITOR: Texto longo. Adaptação de artigo da Revista portuguesa EXAME, edição de Maio de 2010.

O Manifesto de Paul Krugman: regresso a Keynes ou que mil flores floresçam?

A “loja” dos economistas está ao rubro. Um dos keynesianos mais reputados resolveu partir a loiça fabricada pela teoria da ‘eficiência dos mercados’. Paul Krugman vs. Eugene Fama, ainda que nenhum dos dois se refira ao outro. Mas muitos economistas, que têm intervido no debate, propõem um caminho nem unipolar nem bipolar, mas de debate diversificado e de investigação plural. Que várias escolas de pensamento floresçam – pode ser o mote.

The medicine suggested by Keynes: Euthanasia of the ‘rentier’ system

An interview with Michael Hudson about the financial and economic crisis: «Bankruptcy seems to be the indicated way to wipe it out. Governments are postponing this resolution by bailing out creditors – not debtors.»

Krugman sobre Keynes & mitos

“Persigo” o homem desde 1993 – e realizei algumas memoráveis entrevistas com Krugman no MIT. Ao “olhar” para a reunião do G20 e para a expectativa na próxima vaga de «Obamanomics», revisitei o actual Nobel. Não o encontro pessoalmente desde 1998, ainda ele não tinha cabelos brancos e não escrevia no The New York Times. Da última vez que estive com ele e o entrevistei … falámos precisamente de Keynes. São esses «links» que deixo ao leitor mais interessado.