História Económica

Portugal: Juros da dívida pública inferiores a 4% são a exceção em mais de 200 anos

Um custo de financiamento da dívida pública de longo prazo tão baixo como ocorre atualmente, inferior a 4%, poderá ainda durar nos próximos dois anos, refere Bryan Taylor, economista-chefe da Global Financial Data. Desde 1806, apenas em 1/5 dos dois séculos decorridos se registaram tais níveis de juros. Os dados são copyrught da Global Financial Data, que em exclusivo os forneceu. Artigo em versão mais reduzida inicialmente publicado no semanário português Expresso. (c) JNR, 2014

Niall Ferguson: “Se tiver de escolher entre a desigualdade e uma guerra mundial, provavelmente optarei pela desigualdade”

Parte de uma conversa com o polémico historiador britânico inserida numa entrevista realizada com o jornalista João Silvestre e publicada no diário digital e na edição semanal do Expresso, semanário português.

(c) Jorge Nascimento Rodrigues, abril 2014

Melhor livro de Economia de 2014 –ENTREVISTA a Thomas Piketty, autor de “Capital no século XXI”: «Nunca tive nenhuma tentação pelo comunismo»

Melhor livro de Economia de 2014 --ENTREVISTA a Thomas Piketty, autor de “Capital no século XXI”:  «Nunca tive nenhuma tentação pelo comunismo»

Entrevista com Thomas Piketty por Jorge Nascimento Rodrigues (c) JNR 2014. Foto Hamilton de Oliveira
Esta conversa original realizada a 19 de maio foi editada posteriormente para uma versão mais reduzida em entrevista na edição impressa do semanário português “Expresso”, publicada a 23 de maio, no próprio dia em que o “Financial Times” lançaria a crítica ao livro. Em novembro, o livro seria considerado o melhor do ano de 2014 na categoria de Negócios pelo Financial Times e pela McKinsey

Thomas Piketty (o autor do melhor livro de Economia de 2014), em entrevista ao Expresso: «Imposto sobre as fortunas é preferível à austeridade»

ARTIGO ATUALIZADO — O autor do melhor livro de Economia de 2014, segundo o Financial Times e a McKinsey (prémio atribuído em novembro de 2014), entrevistado por Jorge Nascimento Rodrigues

O professor francês Thomas Piketty, autor de “Le Capital au XXI siècle” (editora Seuil, 2013, cerca de 1000 páginas) cuja tradução em inglês (“Capital in the Twenty-First Century”, Harvard Univeristy Press, 685 páginas) se tornou rapidamente líder da lista de best sellers na Amazon e esgotou nas livrarias norte-americanas, diz ao Expresso, na edição de 23 de maio de 2014, que a austeridade é a pior solução para diminuir o sobreendividamento público. Apontamentos sobre a polémica levantada pelo Financial Times até à resposta de Thomas Piketty.

Porque desceram as yields das obrigações dos periféricos do euro?

As alterações de política monetária do BCE e da Fed influenciaram o “sentimento” dos investidores internacionais, a par de decisões políticas importantes tomadas por Bruxelas como a reestruturação da dívida grega e a criação de novos mecanismos europeus de resgate e de supervisão. Por Jorge Nascimento Rodrigues
(c) JNR, 2014

Economista-chefe do Citi diz que é preciso mecanismo europeu de reestruturação de dívida soberana

Um instrumento para a zona euro associado ao Mecanismo Europeu de Estabilidade ou um novo mecanismo da União Europeia, propõe Willem Buiter, economista-chefe do Citigroup.

Por Jorge Nascimento Rodrigues
(c) JNR 2014

Rogoff e Reinhart sobre amnésias atuais

Rogoff e Reinhart voltaram recentemente a falar da amnésia de muitos economistas sobre as lições da história económica. Num working paper do FMI e na reunião anual da American Economic Association apresentaram duas lições.
Por Jorge Nascimento Rodrigues
(c) JNR 2013/2014

Estratégia da China nos mercados financeiros — a rede mundial do yuan dá os primeiros passos em 2013

Compacto sobre a China e a sua estratégia nos mercados financeiros. (c) JNR 2013

A saga americana do shutdown ao adiamento do default — III (de 13 a 18 outubro)

Finalmente, o mundo suspirou de alívio. A bancarrota norte-americana foi evitada. Mas a questão do financiamento federal e do aumento do teto da dívida foi adiada para o 1º trimestre de 2014. Risco adiado, não eliminado. (c)JNR 2013

Um “Nobel” de Economia desconcertante (Prémio de 2013)

Ao atribuir o prémio a Eugene Fama, o “pai” da teoria dos “mercados eficientes”, e a Robert Shiller, um dos investigadores da “exuberância irracional” dos mesmos, o Comité sueco deu uma no cravo e outra na ferradura, cinco anos depois da segunda maior crise financeira dos últimos 100 anos.
(c) JNR, 2013